Review: Otome Youkai Zakuro (Anime) - 85/100


Eu sou uma flor? Uma borboleta? Um ogro? miséria no mundo, violência é a resposta? Traços de rubro tornam-se uma espada em mãos. Elogie meus esforços. Bravo! Bravo! Bravo!”

Romance, mistério, drama, ação, comédia, terror, magia. Todos esses gêneros estão presentes em Otome Youkai Zakuro, anime produzido pelo estúdio J.C Staff na temporada de Outubro de 2010.  Muitos não devem saber de sua existência, um fato triste, já que o considero um bom shoujo. Confesso até que neste ano, não achei nenhum shoujo que surprendeu-me tanto quanto Otome Youkai Zakuro. E nesta review, deixarei minhas impressões desse anime.
O Enredo
Três garotas meio-youkai e três soldados: a tsundere (Zakuro), as gêmeas alegres (Bonbori e Hozuki), a tímida (Susukihotaru), o bishounen covarde e medroso (Agemaki), um outro bishounen que é calado e gentil (Riken) e um baixinho convencido (Ganryu). Estes são as personalidades que compõem o, grupo que, sob o comando de Kushimatsu e Amaryojou, tem a missão de controlar repreender os youkais que estão atacando os humanos ou se rebelando contra a ocidentalização do Japão, já que estamos em plena Era Meiji. No decorrer da história, ainda há o mistério sobre o passado de Zakuro, da origem dos meio-youkais e o mais importante: por que alguns youkais pra lá de misteriosos estão atrás da heroína.


Aspectos Técnicos (arte, animação, músicas, dublagem)
Otome Youkai Zakuro não decepciona na parte técnica. Temos uma arte bonita, com inteligente uso de cores e uma fotografia boa; uma animação mediana, com direito a rostos distorcidos, mas com cenas maravilhosas, especialmente as lutas; Músicas viciantes, apesar de uma trilha sonora não muito marcante e uma dublagem ótima, com direito a um elenco estelar, com nomes como Kana Hanazawa (Susukihotaru), Hino Satoshi (Riken) e Sakurai Takahiro (Agemaki). Dou destaque aos primeiros segundos do primeiro episódio, onde o anime mostrou que não era bem o que parecia na sinopse e nas imagens promocionais: animação ótima, arte incrível e uma música que marcou o anime inteiro. O episódio seis, em especial, foi um dos melhores (se não o melhor) na parte técnica. A luta foi brilhante, não houve muitos rostos distorcidos, o uso de cores foi incrível e o cenário e o vestuário dos personagens foi muito bem feito. Enfim, o anime não tem aspectos técnicos maravilhosos, que irão revolucionar os animes. Mas é muito bonito e um tanto acima da média para o estúdio.

Personagens (individualmente e casais):
Essa é a parte onde o anime realmente surpreende e brilha. Os personagens são cativantes, mesmo tendo seus clichês básicos (que ironizei ao contar o enredo),  e conseguem – pelo menos alguns –  a simpatia imediata do espectador. A relação entre elenco ao longo do anime é desenvolvida de forma boa, solida e eficaz. Cada personagem foi desenvolvido de formas diferentes, seja contando seu passado ou desenvolvendo seus sentimentos. Senti apenas falta de um desenvolvimento maior de Susukihotaru, única personagem feminina do grupo principal que não foi contado o passado. Agora, os casais. Bem construídos, são outro charme do elenco principal: Susukihotaru e Riken, o casal fofo; Agemaki e Zakuro, um casal… difícil; E por fim, Bonbori, Hozuki e Ganryuu, casal alivio cômico. Destes casais, devo confessar minha preferência pelo primeiro. Desde o primeiro episódio, com apenas uma única cena, Riken e Susukihotaru ganharam minha simpatia e torcida. Durando apenas alguns minutos, esta cena surpreendeu e fez muitas pessoas soltaram um clássico “own” ou “que fofo”. Na verdade, todas as cenas onde o afeto e o amor entre os dois foi demonstrado, eu soltei um “que fofo”. Não que eu não goste dos outros casais! Por mais enrolado que o romance entre Agemaki e Zakuro foi, algumas cenas (como a do epilogo no ultimo episódio) foram bonitinhas. Mas foi tão enrolado (como deve , já que é normal ser assim quando se tem uma tsundere na relação) que acabei não me apegando muito. Já Bonbori,Hozuki e Ganryuu valia pelas risadas. Não posso esquecer dos personagens secundários, que merecem bastante atenção. Seja Omodaka,  o oficial misterioso que fez o coração de Zakuro balançar e esconde muitos segredos; Tsukuhane, a mãe desaparecida de Zakuro; a estranha familia de Agemaki e a minha personagem secundaria favorita, Byakuroku.  Os personagens são um ponto positivo para o anime, que conseguiu desenvolver bem cada peça do elenco


Considerações Finais e Conclusão:
Meu carinho por este anime não é pequeno. Foi a maior surpresa que tive no ano passado e um dos shoujos que guardo com mais carinho no meu coração. Parte disso deve-se o envolvimento que tive quando o anime passava. Sabe… Eu esperava ansiosamente cada episódio. Dava risada, ficava tensa, fazia “own” e até chorava! (sou manteiga derretida mesmo)  Pode ser exagero, o anime está longe de ser o melhor do mundo, mas eu gostei. Gostei muito. Confesso que esse ano, eu senti falta de um shoujo que me prendeu tanto quanto Zakuro fez ano passado. Sim, eu gostei de Kimi ni Todoke. Mas são shoujos diferentes.
Caso você esteja procurando por um bom anime, com tanto ação quanto romance, indico com muita confiança Otome Youkai Zakuro. Se você gostar, fico feliz! Se você não gostar, bem, não posso fazer nada. Está preparado para ser enfeitiçado?
Personagens: 8/10
Ambiente/Cenário da História:9/10
Músicas: 9.5/10
História: 8/10
Valores de Produção: 7.5/10

Nota do Anime: 85/100



0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.

About Me

Minha foto
Rah
Apenas alguém que gosta de escrever suas opiniões.
Visualizar meu perfil completo

About this blog

Quer ler sobre anime, mangá, doramas (coreanos e japoneses), kpop/krock/jpop/jpop, entre outras coisas? O Special Days é um blog onde a cultura japonesa, coreana e devaneios da autora Rah Walker se encontram para lhe proporcionar momentos especiais e/ou uma boa leitura!

Espero que goste do blog e tenha uma boa leitura!

Parceria

Está querendo fazer parceria com o blog Special Days? Envie um e-mail para rahwalker007@gmail.com com seu nome e endereço do blog!

Estou Assistindo (Animes)

  • Free! - 01/12
  • Kuroko no Basket - 02/25
  • Tonari no Kaibutsu-kun - 06/13

Archive